22 julho 2005

O Museu e os rockets





Por um lado o Museu on the Seam for Dialogue, Understanding and Coexistence, em Jerusalem com os seus "outdoors" provocatórios ...
Por outro num jornal recente o Haaretz um jornalista palestiniano perguntou a um militante armado do Hamas porque razão tinha o grupo subitamente começado a lançar novamente rockets Qassam após dois meses de calma. A resposta foi: “Sabe quantos Qassam temos? O que é que vamos fazer com eles no mês que vem, depois dos israelitas retirarem?”
Diz-se que seis meses após serem manufacturados, os Qassam se auto destroem. Se isso é verdade, pode estar explicada a súbita urgência do Hamas em se ver livre deles...

9 comentários:

Dorita Rios disse...

Ao passear por este blog reparei que há um comentário sobre este assunto no post "DESbloguemos pois". Gosto muito de fotografias a preto e branco. Mas isso é um comentário para o post sobre Lisboa.

Dorita.

Anónimo disse...

Acho que anda alguém descontente com este blog. Já é alguma coisa.

Anónimo disse...

Há aí um anti semita com falta de sentido de humor. Anónimo sem reticências.

Anónimo disse...

Confundir a não aceitação, totalmente positiva e afirmativa (isto é, sem as reticências que tanto preocupam o meu homónimo), da existência do Estado de Israel, feito contra a comunidade autóctone ao findar da guerra mundial, para mais prepotente e policial, com anti-semitismo, é tão parcial que até doía, se tivesse força...

Anónimo disse...

Ena, ena! Há assuntos que eriçam, mesmo, alguns pelos. É só para dizer que essa do "anti semita" não tem nada a ver com nada. Saberia esse personagem sem reticências que os árabes também são semitas, bem como os judeus e os sírios? Já não ligamos muito a grupos étnicos (a ONU recomenda que não se fale de raças humanas, por só haver uma: a humana, exactamente), mas podemos manter a classificação linguística. São características comuns, de que nenhum dos subgrupos tem a propriedade! Fica a deixa, numa de coexistência, compreensão e diálogo.

Anónimo disse...

Pena que outras armas mais sofisticadas não sigam o exemplo dos Qassam... ou talvez não...

Anónimo disse...

Movilización general contra el militarismo, la intoxicación mediática, la caza
de brujas y la estupidez.

Anónimo disse...

Então não há mais "destas" ?

Anónimo disse...

Não há mais destas? Isso é que há: agora é o Berlusconi. Vamos a ver se há aí anti-latinos com ou sem sentido de humor. Com reticências.