17 outubro 2006

Sé Gang







32 comentários:

Lis disse...

vês...cela ne me plaît pas...e já escrevo em francês para não parecer tão grave a reprovação...
xi

Anónimo disse...

O património mundial convive com o gang da Sé.

Gosto muito desse pedaço de Porto.

J.

intruso disse...

hummm...

pois, convivências...

comentário difícil...

vou ficar a pensar nisto...

intruso disse...

(a fachada é incrível...
não só monumental, como "estranha"... que não quer dizer nada, mas não encontro a palavra)

("grilar"... foi sobretudo pelo grafitti na pedra... não me perguntes porquê)

:)
fica bem

holeart disse...

e as coisas convivem dolorosamente

o livro de primeiras letras até chegar ao muro da fama.

normalmente nos bairros perifericos
porque só aí a fama existe.

a igreja dos grilos? estranha de facto. o resturo foi pessimo. um verdadeiro "pincel".

alice disse...

Impressionante! Este post levanta outras questões : o gang actua porque tem um território histórico e público que não é tratado como espaço-público-histórico - cidade- monumental- é a ilustração do poder autárquico desleixado, ineficiente, incompetente. Lisboa o centro histórico está na mesma, devo acrescentar o cheiro, o cheiro a urina que invade a gestão de Rui Rio e de Carmona Rodrigues.

Naked Lunch disse...

sim, está mais ou menos assim aqui o centro histórico de lisboa... mas sempre esteve, sempre foram áreas de exclusão, com gentes menos desejadas... moro por lá, numas escadinhas e mesmo com cheiro a mijo, encontros com toxicodependentes a chutar, prostitutas, traficantes, alcoólicos, edifícios históricos "personalizados", não há nada como isto... convivências... haja gentes diferentes a habitar estes locais... vivó gang da sé

Anónimo disse...

"Fausto Martins, que se debruçou monograficamente sobre a construção do Colégio de S. Lourenço dos Jesuítas, sublinha que a implantação do Colégio foi decidida por se tratar de uma zona alta, bem colocada, com vista magnífica e bons ares. Ou, como declarava o Padre Juan Perez, em carta de 1574, era um sítio "muy sano, y alegre y solitario". A construção do Colégio e da Igreja levou à destruição de diversas casas na zona terminal da Rua das Aldas (hoje Rua de Santana), aproveitando muitos ternos doados expressamente para o efeito e outros adquiridos ou escambados."

"muy sano, y alegre y solitario" fez-me deixar aqui este texto.
Z.C

Anónimo disse...

As janelas, vazias de interior, deixam ver o céu.

Anónimo disse...

As janelas, cheias de exterior, nada deixam ver a não ser elas - e sombras. Cenário.

Anónimo disse...

A tal convivência de que fala o Holeart...

Silvares disse...

O Barroco vive de contrastes violentos. É o que vem nos manuais. Não será a isto que se referem exactamente mas as imagens deste post confirmam a ideia.

purita disse...

é a chamada malta da pesada!

Anónimo disse...

Bairro da Sé. Gangs e fachadas. A cidade também é isso.
Inês

intruso disse...

pois, a cidade tb é isto...


...


(pensei o mesmo que o "anonymous"... vazios para dentro, para fora, para lado nenhum...
igreja-fachada.)


...


o gang desenha nas paredes de pedra...
o lugar é seu, e tornado seu
(formas de possuir, marcar... e pertencer... convivências)


...


post "complexo"

corpo visível disse...

.
nestas coisas sou muito ambivalente.
.
por um lado não gosto de ver esta "apropriação da pedra", mas por outro penso que o que torna as cidades únicas e com vida são também estas intervenções.
.
fazem-me um bocado confusão as cidades demasiado limpas.
.
para além de que o "sub-mundo" exerce em mim uma atracção quase irresistível. (risos)
.

Lis disse...

E gostavam de ali viver?

intruso disse...

(não sei..... confesso)
:)

holeart disse...

estou a namorar uma casa na r. das flores.

sei de muita gente de familias de grande peso economico que por já lá andam.

estes que mijam nas paredes vao para o lagarteiro, monte da bela, s. joao de deus e porras do genero.

a titulo de exemplo

uma criança (colega de escola) com a idade da minha filha de 15 anos pariu uma criança há 2 anos. a avó trata dela. na altura o pai estava preso a mae...

a minha pequena burguesa filha e outras que por aqui moram gostavam muito da rapariga da ribeira.

com barroco, grafiti, pedra...

penso que nada nasce do acaso.

intruso disse...

[ a zona é bem porreira...

alguma (muita) coisa a requalificar... infelizmente um "mal" geral de muitas zonas históricas das cidades...

entre barroco, grafiti, pedra... ]

Anónimo disse...

Lis, adorava ali viver. Apesar do aburguesamento galopante e da Torre doTávora, ainda gostava de ter para ali uma casa.

BP

intruso disse...

(por falar em Távora... ontem deu um documentário na 2: sobre ele... e lá estava a famosa "torre"...)

Anónimo disse...

De facto a chamada casa dos 24 está quase sempre fechada desde que foi inaugurada 2003.
Já lá estive dentro e gosto do projecto. Mas tem que estar aberto pois não é através dos vidros nojentos que se vê seja o que fôr..
Também a estátua símbolo do Porto, de autoria de Manuel Joaquim Alão, está perdida nas traseiras do edifício. Foi colocada para ser apreciada a partir do interior. Com as portas fechadas, não se vê nem a escultura nem a vista dos telhados da Sé até aos Clérigos, o que, digo-o sem hesitar, é fabuloso.
E é bom dizer que a estátua estava completamente ao abandono nos jardins do Palácio de Cristal. Antes disso, encimava o frontão dos antigos Paços do Concelho, demolidos com a "requalificação urbana" que abriu a Avenida dos Aliados...

E se está fechada é por culpa da Câmara e assim ninguém sabe o que perde. Mas perde.

A. P.

PMBC disse...

Gangs há-os em todo o lado e a todos os níveis. Nem todos assinam assim.

Boa descrição da custódia de Belém. O Ramalho não falou dos pés dos apóstolos, também dispostos em estrela, que dão uma nota humorística à delicadeza do conjunto

celeman disse...

Isto dava pano para mangas.Graffity, património,igreja, arte, intervenção,crime, desconstrução, belo, Kitch...

Jazz Manel disse...

Deve ser por isto que cada vez me sinto menos urbano e com maior necessidade de evasão, não gosto de me sentir atropelado!...

Frioleiras disse...

Deliciei-me ... com as primeiras fotografias mas... depois... a sensação de que me "engasguei", inesperadamente... a tua eterna teima em "derreter" a paz...
a decadência, a destruição, o cair após a elevação... não gostei destas fotografias finais, sei que é propositado mas siderou-me !!!

zazie disse...

uma boa trampa a porcaria que o gang lhe acrescenta.


"para além de que o "sub-mundo" exerce em mim uma repulsa quase irresistível".

zazie disse...

este submundo. Que nem estética, nem originalidade tem. Apenas gosto de estragar, sempre com as mesmas grafias estereotipadas.

Não é apropriação de espaço mas desprezo por ele.

Se o mesmo facto fosse feito em maior escala ou com marca de Estado chamavam-lhe "fascismo"

O bibliotecário anarquista disse...

Genial

claire disse...

"sg" Super a sequência de imagems ,e tantas historias .

ivia disse...

voces tao enganados em relaçao a sé gang
e a sé e sim o nosso patrimonio