03 fevereiro 2007

Círculo VII/VII















João Galrão, "See you through your eyes" 2 , 2006

23 comentários:

Anónimo disse...

Foram topados os truques, os padrões os heterónimos, alguém se deu ao trabalho ... estás cada vez mais cego... e o teu círculo dissipa-se... andas despido. Não sei se tens frio?

Anónimo disse...

Fiqueia a pensar na circularidade do comentário anterior...com truques e padrões.

Gosto de VII. João Galrão. não conhecia.

Z.C.

holeart disse...

e eu já lhe conheço alguns.

se isto rebenta eu quero saber quem me vai mandar limpar o monitor por dentro.



saude

is disse...

olha, olha.. o Galrão!
boa

is disse...

merdy, merdy..
nudismo na cidade?!

hehe

Maria disse...

No net, no circles... Não conhecia. Gostei da série.

intruso disse...

excelente!
este é daqueles mesmo bons.........
(admiro)

intruso disse...

p.s.
fiquei a pensar o mesmo que a isabel,
sobre o nudismo...

[mas os círculos não se dissipam, são circulares,
semfimnemprincípio
(digo eu)]

Anónimo disse...

Truques padrões e heterónimos que dão trabalho a alguém parece-me bem.

E o Galrão a fechar os círculos também.


Inês

alice disse...

sendo eu míope, tanto me faz. continuo a ver desfocada a lua.
É do Porto este Galrão?

Bandida disse...

são círculos, são circulares os abismos... sempre




B.
___________________________

ana disse...

gosto de novas dimensões à Galrão!

corpo visível disse...

.
um círculo sobre as conversas que não se têm nos barcos.
.

m.i.m. disse...

interessantes estas formas/construções do j.g. a uma escala maior, quase seria possível habitá-las. lembram-me algumas coisas da zaha hadid.

Anónimo disse...

branco sobre branco
J.

Anónimo disse...

Acho que é a lua...

Eu.

Anónimo disse...

Quando se abandona as referências e o círculo despista-se, abraça-se a incerteza... de vez, em linha recta a borbulhar.
Os ponteiros do relógio circulam mas a segue por diversos caminhos (se quisermos), às vezes há braços que nos puxam para a lama, às vezes deixamos de fumar, outras olha-se para o lado para se "mata" saudades... sem abraçar fatalismos. Pois como a Sophia Loren , a vida encara-se pela frente (essa cigana é que era (agora já menos, já passou muito tempo). O que é bom é não bloquear em pormenores e cagar nos esoterismos.

( A Tabacaria trespassa-se)

Ass: Álvaro Redux.

O Caso de Charles Dexter Ward disse...

Um pouco assustador. Parece um alien. :)

Naked Lunch disse...

gosto

Anónimo disse...

http://www.artecapital.net/criticas.php?critica=38



abraço

link disse...

Gostei deste círculo. Muito circular e cheio e relevos.
Gostei bastante deste blog.

@ disse...

[a revolta das formas]

linhas tortas disse...

gostei mesmo disto