27 setembro 2007

Ocean without a shore


Entrevista feita pela Tate a Bill Viola na Igreja de San Gallo.




Ocean Without a Shore is about the presence of the dead in our lives. The three stone altars in the church of San Gallo become portals for the passage of the dead to and from our world. Presented as a series of encounters at the intersection between life and death, the video sequence documents a succession of individuals slowly approaching out of darkness and moving into the light. Each person must then break through an invisible threshold of water and light in order to pass into the physical world. Once incarnate however, all beings realise that their presence is finite and so they must eventually turn away from material existence to return from where they came. The cycle repeats without end.

Bill Viola
25 May 2007
Text © Bill Viola 2007

The work was inspired by a poem by the twentieth century Senegalese poet and storyteller Birago Diop:

Hearing things more than beings,
listening to the voice of fire,
the voice of water.
Hearing in wind the weeping bushes,
sighs of our forefathers.

The dead are never gone:
they are in the shadows.
The dead are not in earth:
they’re in the rustling tree,
the groaning wood,
water that runs,
water that sleeps;
they’re in the hut, in the crowd,
the dead are not dead.

The dead are never gone,
they’re in the breast of a woman,
they’re in the crying of a child,
in the flaming torch.
The dead are not in the earth:
they’re in the dying fire,
the weeping grasses,
whimpering rocks,
they’re in the forest, they’re in the house,
the dead are not dead.

20 comentários:

Anónimo disse...

Vais obrigar-me a ir a Veneza.
Vou ver outra vez...e amanhã volto.
J.

isabel mendes ferreira disse...

ok ok ok...

belo belíssimo. apetece roubar. mas não ROUBO.

já chega né?

ainda fica pra aí todo amuado...:))))

_________________

e toda a razão.
no que por lá inscreveu.


grata.

ana disse...

Bill Viola sobe aos altares.

"The cycle repeats without end"


ps: vi o primeiro video mas no link...

BlogProwler disse...

Ó Merdinhas, pá, então não avisas que é preciso clicar no ecrã para ver o video? Tu és difícil, pá.

intruso disse...

excelente;
na entrevista do link, no youtube e no site (imagens ainda mais sugestivas...)

[deriva interminável,
sem margens ou ancoradouros]

...

linhas tortas disse...

muito bom. estava a pensar nele para o LT mas está melhor aqui. gostei de o ver em S Galo.

Frioleiras disse...

excelente..........

is disse...

[não desapareci! ;)]

:(
ando com a net meia marada, vai abaixo quando tento ver vídeos ou ouvir musica!
valeu o poema... e têm valido as tuas impressões de veneza.
a preguiça tem-me impedido de fazer um post sobre munster: o bruce nauman estava muito... prazenteiro!

tentei ir à tua selecção 7/23, mas não estava lá!
ela tem uma peça nova nos cofres (espelhados) da culturgest, é divertida:
"you are beautiful! turn around."
e a "do what you have to do" não podia estar melhor instalada, no meio daqueles mármores à estado novo!

art&tal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bandida disse...

no shore...

magnífico o poema.

e tu BB watching life.


beijo

B.

O Caso de Charles Dexter Ward disse...

Alguém te devia subsidiar para viajares e nos trazeres estas preciosidades.
Já tenho tudo anotado para quando for a Veneza. :)

take.it.isa disse...

a morte a sair à rua

Anónimo disse...

"...Hearing things more than beings,
listening to the voice of fire,
the voice of water.
Hearing in wind the weeping bushes,
sighs of our forefathers...."

Bons Ventos e águas de Veneza

Z.C.

[A] disse...

Talvez já um lugar comum, mas como sabes, adoro Bill Viola.
:( não consegui ver para lá do verde...

[A] disse...

(ok! descobri o link!)

The Light Beyond Death.

isabel mendes ferreira disse...

porta aberta

não precisa de trancas---
:)


_____________

obrigada. mesmo.

beijo.

art&tal disse...

bill viola...

claro...

pelo post de SONHO um outro sonho

saude

Maria disse...

Permanecem. Como a beleza.

corpo visível disse...

.
no eterno retorno, volta tudo ao mesmo lugar.
.

Anónimo disse...

A igreja, a instalação, o que mostras neste blog.
Parabéns
M. F.