05 outubro 2007

The Thinker

"Dread", 2007 (excerto)


"Dread", animation still


Pascal , escultura de bronze, 2007


Rousseau, escultura de bronze, 2007

Joshua Mosley, "Dread" 2007

22 comentários:

MUMIA disse...

Prometedor...

art&tal disse...

e porque raio se pintam escaravelhos?

bem bom o teu post

ai ai

bowie bowie

que confusao que a rapariga armou apartir de um curto apontamento em "black tie white noise".

eu so queria dizer que nao gosto de richard strass

art&tal disse...

pois...

strauss

Anónimo disse...

Pensadores
post modernos e clássicos
J

Maria disse...

Joshuas artistas. If I were not in love...

Bandida disse...

as mãos a pensar em silêncios.



beijo BB


B.

Bandida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Frioleiras disse...

gostei ...

Anónimo disse...

A bienal aos olhos Merdinhas. Gostei de antever essa floresta, E o site.
Z.C.

intruso disse...

god/dog

o encontro

(a animação promete...)

...e o site vale a pena ver
(Lindbergh e as imagens de outras animações, e os projectos, e...)

isabel mendes ferreira disse...

pensador.
pensativo.


pensamos?


pensamos!


pesamos.

_______________


beijo. leve...:)

Haddock disse...

tudo muito lindo, desde a animação às esmolas, mas alguém me explica se faz favor quem é o boneco??

Frioleiras disse...

muito, muito obrigada
pelos
parabéns
que
gentilmente deixaste
no meu blogue!

ana disse...

Como sempre gostava de poder ver mais.

[A] disse...

ó Haddock então não está lá escrito???


Mer, vê o meu último post...

e agora:

Trans/Form/Ação:A noção de liberdade no Emílio de Rousseau



"Compreender a lei da necessidade das coisas morais, eis a regra a seguir, responde Rousseau. É esta regra de conduta, de sabor estóico,6 que o educador propõe a Emílio antes de sua partida:

(...) se quiseres viver feliz e sabiamente (…) estende a lei da necessidade às coisas morais, aprende a perder o que te pode ser retirado; aprende a deixar tudo quando a virtude o ordena, a colocar-te acima dos acontecimentos, a afastar deles o teu coração antes que eles o dilacerem, a ser corajoso na adversidade, para nunca seres miserável, a ser constante em teu dever, para nunca seres criminoso. Então, serás feliz apesar da fortuna e prudente apesar das paixões."
Rousseau

daí o escaravelho...?


p.s.: perdoem lá aquilo do bowie,please!!!

[A] disse...

Deixa lá...sou eu e os meus filmes.
Meti tudo no saco da TRansFormAção/transMutação/MetaMorfose.

Tinha lido Joshua Mosley:

Statement on dread for Volume I of the Venice Biennale Catalog
Joshua Mosley, April 13, 2007

The dialogue in the animation dread is loosely based on my reading of Pascal's Pensées and Rousseau's Emile. Both texts present the difficulty of resolving the human relationship to nature and existence while also accepting God as the creator.

The hints of monstrous parts in the figures of Cow and Dread indicate that the animals have nearly evolved to their normal forms. The dog has one head instead of three, and the cow does not have four human figures emerging from her back. The form of Dread, and his name, takes after the dog subject of Eadweard Muybridge's photographic motion study.

In past works, I've chosen a physical material for the puppets and a flat flickering hand-treated surface for the landscape. This combination seemed to create a separation between the bodies of the characters and the thoughts in their mind.


[E a ideia de liberdade não está também subjacente no Orlando?]

Era mesmo e tão só para me ires lá ver..:)

E já passaste pelo 9=1?

purita disse...

gosto dos braços abertos em sinal de dádiva!:D

Anónimo disse...

Então? Perdido em pensamentos?
J.

[A] disse...

You wear it well :

http://www.iqons.com/iqons.php?fct=page&i=55

ou por aqui

art&tal disse...

se gosto de carnaval?
sempre se sai da penitencia
haja dança

Bandida disse...

fantástica ali a escolha do art&tal...

saint-säens...

Naked Lunch disse...

serviço público ;) quase como se nos transportasses à coisa...