17 outubro 2005

PROIBIDO O ACESSO


"Malefícios da censura

Problema: o governo do estado de Santa Catarina [Brasil] censura os blogues (tudo que tenha blogue ou fotologue no endereço) em seus computadores. Portanto, o pessoal que trabalha em repartição pública e lia a minha coluna quando eu a colocava aqui, a partir de agora ficará sem poder lê-la, porque ela foi para um lugar cujo endereço tem “blog”.
Minha primeira reação, quando me lembrei disso, foi arranjar um outro lugar pra coluna. Mas aí pensei cá comigo: por que devo me curvar dessa maneira? Por que os companheiros servidores têm que se curvar?
Tenho muitos leitores no governo porque, na coluna, às vezes trato do governo ou de alguns de seus integrantes (e nem sempre com elogios ou referências simpáticas). No meu caso, portanto, a censura tem caráter político, de censura propriamente dita. Violência contra a liberdade de informação.
Claro que os doutos censores dirão que estão preocupados com outros sites, de conteúdo fútil, ameaças sólidas de corrupção para as mentes sadias dos servidores. Como se o sujeito mal intencionado não encontrasse diversão fora de sites com endereço “blog”, “fotolog” ou “sex”.
Lamento, caros amigos e leitores, mas a transcrição da coluna continuará em deolhonacapital.blogspot.com e quem se sentir ameaçado pela censura deve colocar a boca no trombone nos ouvidos de quem pode suspender a censura.
A coluna no www.diarinho.com.br escapa da censura política, mas como é para assinantes do jornal, esbarra na censura econômica (com a qual concordo, porque pretendo pedir aumento de salário). E para mantê-la aqui, acabo desfigurando o Carta Aberta, http://www.gardenal.org/cartaberta/que pretendo que continue sendo apenas uma espécie de livro de crônicas".

César Valente, no blog Carta Aberta .

60 comentários:

Anónimo disse...

Globalização securitária...o 11 de Setembro até deu jeitinho aos totalitaristas que chefiam as nações. Alerta Global a este fenómeno senão...CARNEIRADA!!

The Lamb stand up!

Anónimo disse...

Já viram a tradução Google? São sempre boas, mas esta... Reparem no nome que o blogueiro do Brasil ganha na tradução. Googlish? Iés I spikar!

Anónimo disse...

Sem comentários. A censura acontece porque ocorrem excessos, infelizmente. Alguém me diz se pornografia é benéfica para alguma coisa ou formativa para alguém, a não ser para quem detém esse negócio chorudo?

Susie Alberi

BlogProwler disse...

Dos orgãos-sem-corpos do Teatro Anatómico para os corpos-sem-orgãos do Teatro Bloganómico - e corpos-sem-imagem e gente sem corpos: como identificar, responsabilizar, conceder ou retirar legitimidade a estes personagens que são só nomes? Daí, o recorrente lamento (anacrónico, porém, na blogoesfera) por uma falta de identidade que tanto afectava a Susie como a Pasionaria, o Nabo como a Batata. Como regular e regulamentar? Bom, antes que comecemos a utopizar estes corpos totalmente abertos a todas as passagens, a todos os fluxos, a com eles construir uma sociedade totalmente (até a liberdade pode ser totalitária, Srª. Dª Pasionaria?) livre, não esqueçamos os "cookies" e o "spyware" - e o ID dos nossos computadores.

"Horror-story writers have understood, after Edgar Allan Poe, that death wasn’t the model for schizophrenic catatonia, but that the contrary was true, and that the catatonic was one who made of his body a body-without-organs, a decoded body, and that such a body there is a kind of nullification of the organs. On this decoded body, flows can flow under conditions where they can no longer be decoded. This is why we fear decoded flows - the deluge; because once flows have been decoded, you can no longer subtract anything or break into them, no more than you can detach segments from any code in order to dominate, orient or direct the flows. And the experience of one who has been operated on, of her body-without-organs, is that, on this body, there are literally noncodable flows which constitute a thing, an unnamable thing".
Deleuze, “The Nature of Flows”, trans. Karen Isabel Ocana, Deleuze Web, http://www.imaginet.fr/deleuze/sommaire.html

BlogProwler disse...

The paranoid body: the organs are continually under attack by outside forces, but are also restored by outside energies. ("He lived for a long time without a stomach, without intestines, almost without lungs, with a torn oesophagus, I without a bladder, and with shattered ribs, he used sometimes to swallow' part of his own larynx with his food, etc. But divine miracles ('rays') always restored what had been destroyed.") (Dr. Schreber's Memoirs, quoted by Sigmund Freud, Notes on a Case of Para noia. 12, Standard Edition, transl. James Strachey (London: Hogarth Press, 1957), p. 17). The schizo body, waging its own active internal struggle against the organs, at the price of catatonia. Then the drugged body, the experimental schizo: "The human body is scandalously inefficient. Instead of a mouth and an anus to get out of order why not pave one all-purpose hole to eat and eliminate? We could seal up nose and mouth, fill in the stomach, make an air hole direct into the lungs where it should have been in the first place" (William Burroughs, Naked Lunch (New York: Grove Press, 1966), p. 131).
Mais Deluze e Guatari, em: http://www.generation-online.org/p/fpdeleuze2.htm.

Anónimo disse...

Obrigado pela fantástica informação blogprowler. Gostaria também de informar que se alguém por aqui neste forum precisar de prozac and lexapro [pharmfeed.slave.ca] lexapro chat generic motrin [pharmfeed.slave.ca] 100mg tramadol keller fluoxetine 2004 [pharmfeed.slave.ca] plavix & nosebleed nursing medication lists [pharmfeed.slave.ca] drug free method of treating compressed ulnal nerve. cadaveric human growth hormone research [pharmfeed.slave.ca] cipro online overnight infant acetaminophen dosing [pharmfeed.slave.ca] neonatal acetaminophen m367 pain medication [pharmfeed.slave.ca] creatine and topical and alopecia container gardening plant combinations [pharmfeed.slave.ca] battery operated gardening tools online consultation for hydrocodone prescription [pharmfeed.slave.ca] rx drug prices tramadol addiction and withdrawal [pharmfeed.slave.ca] hotels norco ca on line weight loss medication [pharmfeed.slave.ca] how long does norco stay in your system adipex drug [pharmfeed.slave.ca] how to remove prescription medicine from body zoloft fatigue [pharmfeed.slave.ca] withdraws from zoloft valtrex canada [pharmfeed.slave.ca] ambien class action lawsuit annals of internal medicine and hemochromatosis [pharmfeed.slave.ca] practical math in nuclear medicine technology medication compliance and rheumatoid arthritis [pharmfeed.slave.ca] stacker 2 original formula with ephedra westside internal medicine and santa monica [pharmfeed.slave.ca] nuclear medicine teaching file allegra medication [pharmfeed.slave.ca] darvocet addiction deca steroid effects [pharmfeed.slave.ca] discount lorcet what to expect when you stop taking birth control pills [pharmfeed.slave.ca] effects of birth control oxycontin effects on pregnancy [pharmfeed.slave.ca] non drowsy benadryl pictures of adipex [pharmfeed.slave.ca] abbott labs operations in colombia beethoven sonatas volume 2 barenreiter [pharmfeed.slave.ca] west virginia vioxx lawyer complementary alternative medicine benefits phoenix az [pharmfeed.slave.ca] medicine man movie temazepam medication [pharmfeed.slave.ca] detection time period for valium vistaril vs atarax [pharmfeed.slave.ca] ibuprofen cause reye syndrome, pode sempre procurar na net ou em pharmafeed.slave.ca

Anónimo disse...

OOOOOOOHHHH Pá!! deixem-se dessas coisas aqui a carcaça funcemina bem e quando as válvulas começam a bater há sempre a proverbial Aspirinazinha da Bayer que limpa tudo!! Porquê complicar quando podemos simplificar?!

Dr. Tosse Beym

BlogProwler disse...

Obrigado pelo imaginativo comentário, Zé Nabo Bonito (ou Bonito Nabo?). Peço desculpa de não ter incluído nada sobre o crâneo sem cérebro: fica para a próxima, só para lhe prender a atenção.

BlogProwler disse...

"Crâneo" é, para que o incidente lhe não sirva de desculpa, aquilo a que, em português, escrevemos "crânio". "Cérebro" já é mais difícil explicar a alguém na sua situação.

BlogProwler disse...

Bom, já que estou a emendar, emendo isto também: o "a" está a mais na frase "aquilo a que, em português, escrevemos "crânio"". Devia estar: "aquilo que, em português, escrevemos" etc. (Não, caro Nabo Bonito, "etc." está só a substituir o resto da frase).
Estou, pois, com tempo livre - como o Nabo Bonito: não é hilariante (quase comovente) imaginá-lo (ao dito tubérculo) a copiar a literatura do Prozac para os comentários deste blog? Demorou para aí meia hora? Ou será uma dactilógrafa reformada?
A solidão é deprimente e o Nabo tem Prozac lá em casa (é claro que usa o alibi de que foi à net...). Quase comovente.

Serafim Sardão disse...

É pá, Blog da Paula, cagando e andando: a primeira resposta era boa. Eu cá nunca faço "preview", que até acho um bocado maricas.
Se o Prozac não veio do Nabo desmacarado veio doutro tão nabo como ele. No blog do cromo o espírito é o mesmo: isto dos intelectuais, da esquerda, da cultura é tudo uma grande chatice e zumba no cavaco e no cavaco zumba (o que não quer dizer que o gajo não vote nele para as presidenciais, porque ou me engano muito ou vota mesmo). Gostei da imagem do homenzinho (mulherzinha?) a copiar o papel do Prozac durante uma data de tempo. Mas, em vez do Prozac, porquéque o gajo não te manda ir ver um dos seus desenhos de gatinhos e tartarugas e de gajas (ratinhas), tão chatos e incompetentes que têm de ter muitos cortes e muitos riscos e a tal parafrenália paranóica sobre uma esquerda inventada por ele e acompanhada, na mais radical solidão de um nabo apodrecido, por comentadores imaginários. Dizes que é comovente? Se é! Tudo o que o gajo queria era ser "Bonito" e que o "Beijassem Muito": olha, ó cromo, pede à "GajaComTomates" que frequenta o teu blog que ela não se deve importar que lhe óscules os ditos. E, se não eras tu, espero que a comparação contigo mate de vergonha o anónimo em questão.

Anónimo disse...

Ena, ena..."isto está-se a tornar belicoso" como diria um gajo que eu cá sei. Comovente de facto, blogprowler ( se tivesse aqui um conta gotas até derramava duas lágrimas perante o teu brilhantismo magnânime ) ; )

Oube lá... tu tiveste alguma professora na instrução primária que te obrigava a conter os espirros, ou te mandava calar sempre que repondias demais?

Já deves estar a esmifrar, qual topeira, desenfreadamente os IDs de quem escreve isto.
Who cares??

E se te ocorresse que há participantes q se estão cagando para a tua eloquência e não levam a sério as caralhicaturas do Zé Nabo ou intervenções da Susie, do Piró, do Sardão, que se divirtem até sim, sem grandes complexos de esquerda ou direita, com a Passionaria, mas que nem fazem caso da puta da intelectualidade que pariu os teus reparos?

Achei o título e conteúdos deste blog originais. Por isso vim cá parar e aqui permaneço. Para me distrair, aprender e divertir mas, lamento blogprowler, divirto-me mais com a participação de outros cromos, mto mais do que as tuas. Antes a irascibilidade da Passionaria e do Pirómaniaco que o teu intelectual - wanabe - chato - pra - caralho - intelectual - way - of - writting/copying.

Serafim Sardão..fui "eu" que copiei a parafernália medicamentosa de resposta ao "Deambulador do blog"..os outros "blogcharacters" de que falas e a quem me associas, nunca os vi mais gordos. ( que mania de fazer associações ; ) )

PROWLER'S HANG-OVER

BlogProwler disse...

Alguém que tudo o queria era ser a minha ressaca... é uma boa apresentação. Horizontes largos. É, portanto, o ciber-personagem traumatizado pela escola: bate certo. Não percebo o seu incómodo: nunca lhe perguntei com o que é que se divertia e muito menos teci sobre isso considerações. Francamente, não quero saber. A redacção confusa, sem dúvida ditada pelo nervosismo que o/a invadiu (vá lá, acalme-se, não é preciso ser mal educado/a - troque o Prozac por Valium), faz com que não compreenda muito bem o último parágrafo que me é dirigido, só lhe podendo dizer que não é obrigado/a a ler as minhas "participações", sobretudo se por elas se sente assim tão ameaçado/a. A mim, dá-me algum prazer desmontar a absoluta mediocridade das suas. Volte sempre. Eu passo muitas vezes por aqui. Cuidado com a paranóia (isso dos ID's...) associada à depressão e à mania.

Anónimo disse...

Deixa lá a forma "exquisite" de tratamento na 3a pessoa.

; ) Se não quisesses saber, nem me tinhas respondido.

I WANABE A PROWLER! ;)

BlogProwler disse...

Não escrevas assim, não uses a terceira pessoa, quem é divertido é o outro, és o que fazia e acontecia na escola... Essa obsessão em impor ao mundo as suas pré formatações mentais revela psicopata. Vá lá... é melhor do que a mulherzinha neurótica que eu começava a imaginar (a escrever umas coisas no intervalo das novelas). E os estrangeirismos: tanta vontade de atenção e de mostrar cultura...
Até já, Sr. Wanabe (isso do wanabe já tinha ficado perfeitamente claro).

Anónimo disse...

Blogprowler
...é pá, estrangeirismos? Tb não podes ver uma camisinha lavada nas costas d um pobre.. ; )

psicopata...tu não terás é malapata com quem te põe a linguadura em cheque?

Até já? Queres é cumbersa... já me tinha parecido que gostas de uma boa arena de argumentação. Mesmo qdo sugeres que o adversário é inferior e não bebeu da mesma água que tu (se calhar até bebeu.. ;) )

BLOGPROWLER'S PILL

BlogProwler disse...

Se não usa estrangeirismos, quer então, agora, ser a minha pila? Os contornos esclarecem-se: é o Zé Nabo. Quanto a conversas... voi você que a começou.
Até já, Senhora minha pilla.

Planeta disse...

blog prowlers e afins...qual carmona e carrilho, ramalho ortigão ou camilho, que desta contenda resulta apenas um ténue e apagado rastilho...

Anónimo disse...

Ouah! (Bocejo!) Vou almoçar. Da parte da tarde, tenha eu tempo e vontade, dou-te mais atenção. Almoça bem. Até logo. ; )

BLOGPROWLER'S BATTERY

Serafim Sardão disse...

"Ténue e apagado rastilho"? Deve de ser o gajo que quer ser a pilla do Blog da Paula - por isso anda à procura de coisa maior. És gaja ou rabo? Tás sempre a piscar o olho naquela rotice dos smiles. Agora até queres ser bateria: deve de ser uma cena daquelas sado-maso.
Ó Blog da Paula: o que o povo quer é revista e TVI. Tu pões-te com Omoletes do Teatro Nacional... (por acaso até já lá vi uma Omolete em que o dito era um rapaz que fazia novelas). Mas tens razão: se não querem omoleta não comam a omoleta e deixem-se de bichices, suas inbejosas.
Cheira-me que a Pilla (salvo seja que eu cá não cheiro pilas), o Alvar e o Planeta e até aquela Sôdona Susie é mas é tudo o Nabo copiador. Lá vem o Carrilho que apresentou o Nabo a este blog, as rimas e a conversa sobre extremidades. Este blog devia mudar de nome para "Onde está o Nabo?". É pá ó Prowler, eu cá não estou a impor nada a ninguém: é só uma sugestão. Não me lixes que já chega o IRS.

Anónimo disse...

Bem, o rôlo que vai por aqui. Cheire lá o que te cheirar, cheira lá este gás e põe a postar.

Arnaldo Bacamarte

Serafim Sardão disse...

Olha lá, ó Nabo das rimas: mete o bacamarte no caneiro por onde te saiem os cheiros.

Anónimo disse...

Ó Serafim francamente!! És mesmo brejeiro moço!! Se a estupidez for inversamente proporcional ao tamanho do orgão, então serás conhecido pelo "aramito", daí a necessidade de evidenciar o sardão!! Se te cheira a pila, das duas uma, ou não a lavas ou andas a cheirar pilas pesonhentas de terceiros...venha o diabo e escolha!! Sabes o que é que poe as mulheres ao rubro seu Eunuco verborreico? Não? Então eu digo-te, um cunnilingus fantástico, mas isso não é milho da tua capoeira rapaz...enfim não se pode ter tudo...

Aparece...mas a ressabiar menos rapaz!

Piró

Anónimo disse...

Serafim sardanisca
Seráfico e bonacheirão
Vem daí jogar à bisca
Ou vai-te prà merda então.


Quem és tu senão uma pálida sombra virtual do Zé Nabo? ( que se encontra aparentemente de férias).

O gajo apareceu aqui e fez-te sombra e agora andas de bacamarte na mão furibundo...lol

Nem todos podemos rimar, mas podemos sempre dar tiros pró ar em todas as direcções, com esse ar seráfico de quem tem a sarda murcha.

SERAFIMPROWLER

Serafim Sardão disse...

Tás zangado, ó nabo. Afinal foste sempre tu. Rabo escondido conabo de fora... A resposta é só uma porque vocês também: só uma e a mesma gaja chata e rabugenta. Ainda há bocado me piscavas o olho. És um bocado rameira. E essa rabetice do "lol" já a tinha visto numa "Gata" no blog do verdadeiro Zé Nabo, lembras-te. Aquele de quem tu, como já todos sabemos, és a sombra, em muito rasca (e o Nabo Original já não era grande coisa). Aquele perante quem te comprometias a vergar o nabo. O Nabo não está de férias: acobardou-se.

Anónimo disse...

Ó Serafim, há outra coisa que eu gostaria de te dizer acerca da tua
expressão verbal..."deve de ser" é uma forma de expressão completamente bimba!! Que te classifica logo inexoravelmente, sem dó nem piedade, no grupo dos deltas (Aldous Huxley diz-te alguma coisa?) Assim não vais lá.
Vou-te ensinar que até me fica bem, em vez de dizeres "deve de ser"...iac! soa tão mal, deves sim dizer e isso é que é Português correcto e elegante, próprio das pessoas que beberam cházinho em pequenas, "DEVE SER" simplesmente.

Estamos sempre a aprender e isso é positivo.

Piró

Serafim Sardão disse...

Queres em verso? Vamos lá:
Piró Caminha,
meu granda rabeta,
não tens pilinha
pr'a tanta treta,
cobiças a minha
qué grande e preta,
misturas-me ao Prowler,
que estás cansado,
na mesma mala,
ó ganda nabo.

Anónimo disse...

Chamasteis-me?!? 8===>

Disseram-me para voltar que isto aqui estava a precisar de horta nova.

Zé Nabo


PS. Serafim. Zangado deves andar tu de pila mole e cornadura. Vê mas é se tens tesão, de contrário serás mesmo cabrão.

Anónimo disse...

Então vamos repetir pacientemente:

Ó Serafim, há outra coisa que eu gostaria de te dizer acerca da tua
expressão verbal..."deve de ser" é uma forma de expressão completamente bimba!! Que te classifica logo inexoravelmente, sem dó nem piedade, no grupo dos deltas (Aldous Huxley diz-te alguma coisa?) Assim não vais lá.
Vou-te ensinar que até me fica bem, em vez de dizeres "deve de ser"...iac! soa tão mal, deves sim dizer e isso é que é Português correcto e elegante, próprio das pessoas que beberam cházinho em pequenas, "DEVE SER" simplesmente.

Estamos sempre a aprender e isso é positivo.

Piró

Anónimo disse...

Até já rimas, sarda mole?!
Quem fala assim
também engole.

Zé Nabo

Serafim Sardão disse...

Tás-ta repetir: e não é porque vocês dizem todas a mesma coisa, mas estás a publicar o mesmo comentário. É a única maneira que te resta de teres a última palavra? Cuidado: o comentário do "deve de ser" está a deixar sair o rabiosque da Sôdona Susie. Tás a ficar cansada miúda, vai descansar. Vai fazer aqueles desenhos chatos e parolos lá do teu blog. E voltas amanhã, que o mundo não acaba hoje.
Serafim Sardão não to mete na boca nem to dá pr'a mão.

Anónimo disse...

Simplesmente porque tem vergonha de o mostrar....

nós compreendemos e estamos solidários com essa disfunção.

Piró Caminha

Anónimo disse...

Serafim sarnento
Seu granda fatela
Aos pés do jumento
Ficaste sem ela.

Serafim das tangas
és um desbocado
Comigo não mangas
nem levas recado

Serafim, Serafim
Vê lá se tens tino
Se levas comigo
Eu ponho-te fino.

Zé Nabo

Anónimo disse...

Merdinhas meu amigo/a por favor trás água limpa contigo, aqui o terreno empapa de tanta merda que o Serafim relata. Vamos lavar o terraço pois de este gajo é um fracasso, trás vassouras e esfregonas pois o serafas deixou cair as parangonas. E depois de tudo acalmar vamos todos passear que no fundo isto é saudável mesmo que a malta aqui pareça pouco amável, tens gente que comenta e assenta que disparata e borra com a pata, tens os que se guerreiam e os que se galanteiam, mas a pouco e pouco este teu espaço será como o mais in-terraço de um bar que da patine da gente será sempre emergente.

Um abraço para ti mesmo que andes por aí desaparecido em combate!

Piró

Anónimo disse...

Provoca lá Serafim
De outra maneira diferente
Se só falares assim
Enfastias toda a gente

Zé Nabo dixit

Anónimo disse...

Serafim: "rabiosque"?
Que vocábulo tão gay
Dá mas é de frosque
Não digas que não te avisei

Zé Mangalho

Anónimo disse...

Serafim? Então? Ficaste-te? "deve de ser"...

Já Zé Nabo não sou!... Não por ti, Serafim Aramito, mas por respeito ao outro, que tu tanto comentaste. Vai lá chatear o gajo de vez em quando para mudares de ares. Se não te chegar, já sabes que as doses por aqui sobram sempre para ti.

A partir de agora ( e mesmo que descubras outro nome igual, feito toupeira mole ), quando te curvares perante a minha gola e sempre que me quiseres dirigir as tuas despeitadas imprecações, tratas-me por Sr. Zé Mangalho.

Merditas, continua a postar que a gente gosta. Posso não ser o blogtroter ilustre que desejarias ver aqui, mas um homem, como deves saber cresce devagar.

Zé Mangalho

Anónimo disse...

Nabos, Pirós, Serafins e afins Cá para mim também o intelectual do blogprowlwer é dessa horta que quer anabar o blog.
A censura ocorre porque há excessos? E os vossos excessos ocorrem porquê?
O tema é a censura, não é? Eh pá ó Merdinhas censura aí qualquer coisa que o pessoal está sem travões.

V. L. com cumprimentos para Merdinhas

Anónimo disse...

Já Zé Nabo não sou!... À cova escura
Meu estro vai parar desfeito em vento...
Eu aos céus ultrajei! O meu tormento
Leve me torne sempre a terra dura.

Conheço agora já quão vã figura
Em prosa e verso fez meu louco intento.
Musa!... Tivera algum merecimento,
Se um raio da razão seguisse, pura!

Eu me arrependo; a língua quase fria
Brade em alto pregão à mocidade,
Que atrás do som fantástico corria:

Outro Aretino fui... A santidade
Manchei!... Oh! Se me creste, gente ímpia,
Rasga meus versos, crê na eternidade!

Um amigo do Ex Zé Nabo que apela ao amor fraternal na Horta das animosidades.

Anónimo disse...

Adubai a Horta, adubai...que de nabo, batata e grelho todos nós temos um pelo.

Durmam bem e até amanhã.

Dr. Tosse Beym

voxpopuli disse...

Quem tudo quer saber mexerico quer fazer.

Anónimo disse...

“Trouxeram-lhe também criancinhas, para que ele as tocasse. Vendo isto, os discípulos as repreendiam. Jesus, porém, chamou-as e disse: Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas. Em verdade vos declaro: quem não receber o Reino de Deus como uma criancinha, nele não entrará." (Lucas 18,15-17)

Vocês tão todos para o INFERNO! Toma toma toma!!!!
J. M.

Anónimo disse...

Vim agora aqui e estou a achar que há gente muito má e destrutiva e malcriada. Acho e penso que a vida é muito curta e que não deviam estar a zangar-sse todos.
Ana

Anónimo disse...

Mas quem é esse gajo? Tu está é calado. SIM. TU.

Anónimo disse...

Gostava de vos deixar uma ideia:

É PROIBIDO PROIBIR!!

Herlander Nhao Fassazysso

Anónimo disse...

"Mensagens Subliminares:

Mensagem subliminar é uma informação que nos é enviada de modo oculto e dissimulado, abaixo dos limites da nossa percepção consciente.

As mensagens subliminares influenciam nossas atitudes, porque são exibidas de modo a não permitir que o nosso consciente as perceba e as critique. Entram directamenteo pelas portas do subconsciente. São vastamente utilizadas nos meios de comunicação na forma de propaganda subliminar na tv, rádio, jornais e revistas. Símbolos de significados importantes são disfarçadamente incluídos em locais insuspeitos e de modo a não podermos conscientemente reconhecer as suas presenças. O nosso subconsciente, no entanto, capta os seus significados e associa-os ao que estamos a observar.

O subconsciente é capaz de perceber uma mensagem exibida com a duração de apenas 1/3000 de segundo, uma frase dita ou escrita de traz para frente ou um desenho perdido no meio de um fundo confuso.

Desta forma é possível fazer com que consumidores passem a sentir atração por este ou aquele produto mediante a inclusão dissimulada de palavras como "sexo", "amor" e outras mais nas imagens de propaganda do produto. Há notícias de supermercados que possuem equipamento para inserir frases no meio de músicas que são tocadas no ambiente para sugestionar os clientes. Uma mensagem subliminar sonora ou escrita pode ser apresentada em altíssima velocidade e não ser percebida pela mente consciente de quem se expõe a ela, mas as pessoas a percebem pelas vias do subconsciente."

BIG BROTHER IS RIDING YOU

Piró

Anónimo disse...

Um blog tem a poderosissima capacidade «material» e crítica para superar a barreira clássica da univocidade comunicacional. Que não se entupa este valioso vaso sanguíneo, ao contrário, que seja progressivamente revitalizado com vitamina " J " .
"É proibido proibir", já lá dizia o poeta. Mas atenção caro comentarista, porque a liberdade de expressão é também fazer uso da proactividade e da responsabilidade.

Floriano R.

Anónimo disse...

Floriano R.

Deves ser primo de um lente de Filosofia meu conhecido, de seu nome Floriano C., cuja definição erudita de ovo estrelado era a seguinte: "produto genital da companheira do anunciador da aurora sob a forma de estrelado". Uma maravilha...


Piró

Anónimo disse...

Esse senhor devia ser um excelentíssimo lente. Ana, a Ana tirou-me as palavras da boca com tal sapiência. Como numa letra de um muito propalado grupo pop dos anos 80 "War is good for absolutely nothing." Floriano R.

Anónimo disse...

Kafka ele mesmo, ficaria impressionado com a forma eficientemente automatizada como hoje é possível censurar.
Arty Fartist

Anónimo disse...

O TABÚ DE CAVACO

«Dia de grande responsabilidade»

Cavaco Silva recusou antecipar nem que seja uma linha de seu discurso de candidatura presidencial, que vai acontecer esta quinta-feira, um dia de «grande responsabilidade» para o antigo primeiro-ministro.

( 15:10 / 20 de Outubro 05 )



O discurso de Cavaco Silva está marcado para as 20:00, quando começam os principais telejornais da noite.

«Hoje é um dia de grande responsabilidade para mim», afirmou Cavaco Silva, à entrada para um almoço no Grémio Literário, em Lisboa.

Interrogado sobre a declaração que fará mais tarde, o antigo líder do PSD
pediu aos jornalistas para esperarem mais algumas horas e não avançou nem uma linha.

«Agora estou aqui para um almoço com amigos muitos especiais. É bom ouvir os amigos nestes momentos de grande responsabilidade», acrescentou.

Cavaco Silva apenas adiantou que o texto «foi sendo escrito ao longo do tempo. Foi crescendo na minha mente».


REPAREM BEM QUE O PROF. COM TANTO TEMPO DE ESPERA, QUANDO SE VIER SERÁ DE JORRO...QUERO VER SE NÃO ESTOU LÁ AO PÉ!

Atenciosamente,

Reph Horther

Anónimo disse...

Vou ver se não vou ver...
Honório Agazalho

Serafim Sardão disse...

Pronto, pronto... já percebi que as meninas só pensam no Sardão: o cheiro, a higiene, o tamanho. Estão todas perdoadas: percebi que querem ser minhas amigas! Maneiras de o dizer é que só encontraram umas desastradas, nessa timidez que finge malícia. Gosto de todas e se não sujeito o sardão às carícias que tanto lhe querem dar é só porque acho que vocês devem ser feias. Como as não vi, não levem a mal, caminhas piradas, hortaliças e quejandas. Amo-vos a todas - mas de longe. O mundo é lindo! Viva o Amor!

Anónimo disse...

Zé Mangalho atento ao teu tom fatela, mas compreendendo que o queres também é calma e harmonia, estende a mão direita em apreço a esta dignificante atitude de Serafina Aramito ( envolta, não vá o diabo tece-las, numa luva profilática de latex ).

Enfim o ambiente é de festa e é Matos Maia quem escolho para cantar o conhecido hino à paz e à amizade florida, de Scott Mackenzie, para a banda sonora deste histórico final de manhã..

"If ió goin tu São Franciisco
Bi xu tu é san flauas i ó é...
If ió goin tu São Franciisco
Iu gona mi samgenta pipó dé..."

Zé Mangalho ( que nunca foi Piró Caminha - continuas enganadita, Aramito!)

Serafim Sardão disse...

És um bocado velha, pelas músicas que ouves. Meu amor. De longe e a fazer-te manguitos. O mundo é lindo! Não tamofines. Não estejas tão rabugenta. Lindo é lindo. O Sardão desanca-te quando quer. Mas só quando quer. E tu gosta que eu sei. Ele é que te dá corda, ele é que chama quando não tem mais nada que fazer. Acabou de o demonstrar. Tu amochas. E depois ficas à espera e eu não venho. E quando chego queres dizer-me quem és e que não te confunda com as outras. Meu amor - mas de longe que não quero que me beijes nessa sofreguidão em que andas. E a fazer-te manguitos. O mundo é lindo, suas galdérias doidas.

Anónimo disse...

Serafina Aramito, sua marota minimal repetitosa ; )
Um comentário retirado de um pensamento profundo de um conhecido artista, para responder em conformidade ao teu segundo apelo bichoso de paz (podre):

"Blah, blah, blah", Iggy pop

Zé Mangalho

Anónimo disse...

"Recognize, don't criticize, change"

Pois é. O velho medo da censura: O primeiro passo a dar é tornarmo-nos conscientes desse medo, o medo de ser repreendidos, do desacordo, da falta de apoio e apreciação.

A raiz de todo medo é o medo da não existência.

De modo subliminar, ele está presente em todos nós e pode emergir repentinamente com o pânico, simplesmente por não querermos incorrer em censura. Ao mesmo tempo, estamos sempre prontos para colocar a culpa nos outros, com a crença de que isso não nos irá prejudicar. Mas isto gera negatividade, e somos nós que sofremos.

O medo da censura é o mesmo que o nosso medo da morte, ou o nosso medo como agente do nosso ego, da nossa auto-afirmação. No final, é o medo de não estar mais aqui.

É claro que quando prevemos uma acusação, não tememos desaparecer naquele momento; tememos o desaparecimento da nossa auto-estima que depende muito da apreciação dos outros.

O que nós queremos é aplauso e elogio, é um facto da vida. As nossas acções são geradas com esse fim e se o nosso desejo é frustrado, somos tomados pelo medo que impede a objectividade.

Ou seja: tememos a crítica. Para nos livrarmos desse medo, deveríamos começar por tentar não ser tão críticos nós mesmos, compreendendo que o que quer que façamos retornará como um bumerangue.

DJ
(Downunder Joe)

Anónimo disse...

Digam lá se essa nova harmonia não é maravilhosa...finalmente a horta acalmou. Deve ser da chuva.
Esperemos bem que não venha espalhar a gripe das aves.

Anónimo disse...

Podes crer "anonymous": mangueira à mão é para regar . Há quem se sirva e a tenha sempre à mão sobretudo para malhar.

Zé Mangalho Bombeiro

Anónimo disse...

Se a "nova harmonia" fosse assim tão maravilhosa, haveria novos rebentos e comentários. Não será precisamente o contrário?

"You're living in your own Private Idaho
Living in your own Private Idaho
Underground like a wild potato.
Don't go on the patio.
Beware of the pool,
Blue bottomless pool.
(...)
Keep off the patio,
keep off the path.
The lawn may be green
but you better not be seen
walkin' through the gate that leads you down,
down to a pool fraught with danger
is a pool full of strangers.You're living in your own Private Idaho."

DJ