08 outubro 2005

The Unseen Art of William S. Burroughs





Há uma arte inédita de Burroughs para lá da literatura e das colaborações mediáticas. A galeria londrina "Riflemaker" expõe, neste momento, desenhos, colagens, esculturas e pinturas do escritor. A exposição, dividida em três partes ("Dead Aim", "Pistol Poem", "Rifle Range") faz dialogar a obra plástica de Burroughs com a sua literatura e com os trabalhos de vários artistas, como Paul Klee, Jean Dubuffet ou Keith Haring.

39 comentários:

Anónimo disse...

Ah... o Merdinhas andou por Londres...boa vida!!!! também lá ia!

BlogProwler disse...

Malevitch entrou numa espécie de "fade out" pictórico a partir de 1918. Ele mesmo disse ter trocado o pincel pela pena (espero não estar a abrir a porta à brejeirice, desculpe lá, merdinhas...) - a pintura pela escrita (e actividade pedagógica). Rarefacção que o levara à abstracção e da polícroma pluralidade de figuras de 1915 ao Suprematismo "branco" de 18, com "figuras" brancas sobre "fundo" (se é que as velhas categorias figura/fundo ainda funcionavam) branco. "Um mundo sem objectos", não se cansou ele de prever. Vazio quase Zen (lugar comum na crítica dos anos 70). O mundo, no entanto, enchia-se de objectos e de ruido e de pluralidades e justaposições e de diversidades. Tatlin e os produtivistas, depois construtivistas, tiveram uma visão disso. Visão heróica, porém. Amanhãs que iriam cantar. Burroughs parece seguir um caminho inverso ao de Malevitch: foi deixando diluir a escrita no espectáculo, nos media, no ruido - e deixa-nos, ver, agora, por último, a sua pintura. E ela não é redução mas de acumulação. De ruido. É claro que isto não é bem exacto: mas é para isto que os blogs servem.

Anónimo disse...

Mas a exposição é do escritor que pinta...

coolme disse...

Mais coisas sobre W. B. para quem quiser espreitar, sem grande ruído:
http://www.spress.de/author/burroughs/

BlogProwler disse...

E para Malevitch podia ser a exposição do pintor que escreve...
Pois foi, o acento em ruído ficou no tinteiro - e o "de" antes de "redução" também. O que vale é que isto dos blogs é descontraído. (Tenho de começar a fazer "preview" mais vezes).

Anónimo disse...

Um estava vivo...quando entrou em "fade out", o outro não sei se quis mostrar a pintura....ou borrar a escritura. Não conheço a sua pintra.

Anónimo disse...

Merdinhas sabe por acaso que ele é neto do inventor do mecanismo da máquina de calcular?
E que foi exterminador de ratos e detective particular?

Anónimo disse...

As coisas que esta gente sabe...

Jazzi disse...

Podem descarregar a música do Nacked Lunch ...
http://alexmsk.invisible.ru/naked/

Que o Beat sem Jazz é só nic.

Anónimo disse...

Bora todos a Londres e o Merdinhas também!! Pode funcionar como fila guia ;) na nossa intelectualmente rica visita.

Anónimo disse...

O Burroughs era um grande "metediço". Aliás assumia-se como tal. Metia e deixava meter. Era um agitador, egocêntrico como (quase) todos os agitadores. Metia-se com tudo e todos. E dava a cara, o que nem sempre é fácil, especialmente em certas alturas. Acho que os "metediços" devem dar a cara, senão o discurso fica academicamente vazio ... e não serve para nada.
K

Anónimo disse...

Caro Merdinhas: não podia deixar de relacionar William S. Burroughs, esta excelsa figura da cultura, com o tb excelsior homem da cultura que foi e é Carrilho: José Socrates disse há dias que Carrilho foi o melhor Ministro da Cultura que Portugal já teve. Não concordo. O gajo não percebe nada daquilo. Se ao menos dissesse que foi o Ministro da Cultura que melhor tranca arranjou para esfolar o nabo, começava a ter razão, mas, mesmo assim, continua a não perceber nada de cultura. Eu, Zé Nabo, como grande impulsionador da cultura que sou, explico:
Há que cortar o mal pela raíz e potencializar o ensino, ou seja, acabar com as escolas mistas e voltar a separar as mulheres dos homens, no ensino primário. As mulheres, ao contrário de nós, não precisam de aprender o verbo ser ou estar, quando começam a juntar as letrinhas. Só existe, na realidade, um verbo que elas têm de aprender para a vida: o verbo nabar!

Eu nabo
Tu nabas
Ela naba
Nós nabamos
Vós nabeis
Elas nabam

Amicalement,
ZN

Anónimo disse...

Meu caro Zé Nabo, sereis vós a lufada de ar fresco que faltava a este Vlog? Penso que o Merdinhas nada terá que temer com vossa tão esfolante aparição! Vamos juntar todos os mediocres deste pais e blogs ciberenrraizados e promover agora sim aquilo em que somos bons: A PUTA DA MEDIOCRIDADE, VENHAM A NÓS MEDIOCRES DESTE PORTUGAL, VENHAM E AQUI ENCONTRARÃO PAZ E SOSSEGO PARA REGORGITAREM A VOSSA MEDIOCRIDADE MAIS CRIATIVA! Que o Merdinhas me perdoe mas estava tenso e acho que o ZN tem razão! Bem ajas ZN!

Anónimo disse...

Olá Merdinhas.
Sou um leitor atento do seu blog há já uns tempos. Não sei mesmo se desde o princípio. E acho que o nível tem sido francamento bom. Recordo um apontamento que escreveu sobre os spam. Não se podem spamar os tubérculos? É que um nabo podre faz apodrecer o resto do blog e depois é um cheirete. Mas também lhe digo: não se devem dar muita atenção aos nabos especialmente quando respondem a eles próprios.
Kienholz

Anónimo disse...

Esta estória já vem de longe... Deve estar a chover no nabal...e por isso o nabo mudou-se... ou melhor, está a ver se se muda.
Acho que começou logo pelo primeiro comentário:
com a inveja endémica mal disfarçada...
depois quiz mosrar que sabia que o Burroughs é neto do inventor do mecanismo etc etc etc.
Depois quiz dizer mal de alguém...
pensou...pensou... Burroughs??? Buroughs???...e já está ! : Carrilho ! e soltou o veveno fácil e pobrezinho...
Depois sentiu-se
sózinho...desamparado...incompreendido; e inventou um anónimo para lhe dar razão...E tudo ficou bem no mundo dos Nabos.

Anónimo disse...

mostrar... falhou-me o t.

coolme disse...

O nabo é uma bela fonte de fibras com poucas calorias (é pena). Possui alguns compostos sulfurosos que protegem contra certos tipos de cancro, mas pode provocar flatulência e distenção abdominal, como, aliás, se pode ver pelos comentários nabescos. Cuidado com os nabos e com as nabiças...Suprematismo branco sujo de sempre sobre fundo nacional verde e vermelho que a velha categoria funciona mesmo.

Anónimo disse...

Afinal a chamada ao quartel trouxe-nos um exercito de mediocres, mais cedo do que eu pensei, mediocres e malta cheia de azia. Podem descansar á vontade pois aqui aceitamos todo o tipo de gente dos bonitos aos feios, dos impotentes aos gajos e gajas cheios de saúde, da malta que ressabia( temos aí alguns especialistas em nabos que não sabem que um bom minete é melhor que dizer mal da hortaliça!!!)...enfim vinde todos que sereis bem recebidos. Caro Merdinhas continua assim que a ti ninguém te toca pois és dos que escapam á mediocridade.

vosso criado,

Piró Caminha

Anónimo disse...

ZN salvando a (al)face e salvaguardando o nível q tem sido francamento bom deste blog:

Caros Onzeneirus Anonymus: Não façam de mim o vosso alvo de tomates..vocês parece até que responderam em barda ao apelo do outro anónimo que comentou logo a seguir a mim. Se eu fosse ele(a) casava-me. Ou seja empenhava o nabo.Até porque no casamento, o que as gajas têm na cabeça é nabo. É o que mais querem na vida.

Tambémb não fiz o comentário do outro anónimo que perguntava se por acaso o Merdinhas sabia por que ele era neto do inventor do mecanismo da máquina de calcular. E que foi exterminador de ratos e detective particular. Mas gostava de ter feito.

Ou seja, eu o meu nabo ficámos contentes e jamais sózinhos...desamparados...incompreendidos..porque na realidade o que toda a intelectualidade feminina quer é nabo. A masculina só quer que o tratem com respeito e porque não admiti-lo, devoção.

Merdinhas, força nesse nabo que estás no bom caminho.

ZéNabo

Anónimo disse...

Merdinhas. Não apaga comentários nabauticos?

Anónimo disse...

Piró Caminha:

Pareces ser um bastião da cultura de cócoras e não só. Tratas o cunnilingus por tu, sem pareceres contudo um mero lambécunas.

Merdinhas, desculpa lá tanto comentário que aparentemente nada tem a ver com Bill Burroughs.

Mas desenganem-se os mais encaralhados fervorosos pseudodefensores da cultura asséptica: Tem mesmo.

Ele também gostava de afiar o nabo e sabia bem do que falava quando a conversa sugeria o "falo" e arredores. Ou não fosse ele a afirmar o que se segue:

"Admittedly, a homosexual can be conditioned to react sexually to a woman, or to an old boot for that matter. In fact, both homo - and heterosexual experimental subjects have been conditioned to react sexually to an old boot, and you can save a lot of money that way."
William S. Burroughs

Zé Nabo

Anónimo disse...

"Anonymous", esse comentário aos "comentários nabauticos" mais parece vindo de eunuco ou de uma frígida sem nabo à mão...Mais parece que anda mais habituado(a) a empunhar um vigoroso lapis azul de censura.

Zé Nabo

Anónimo disse...

Mitsuirato!! LARARAAAARARAAAAA....
Japonês erudito que elouqueceu fruto da pressão provocada pelo programa Imperial Kamikase do qual era o responsável na vertente "imagem" e promoção. A verdadeira razão que o terá levado ao estado de loucura, e prosterior suicídio, prende-se com o facto de os seus pares insestirem que os jovens pilotos deveriam usar lenços vermelhos, coisa que Mitsuirato, que era um esteta, achava terrivelmente piroso. Achei que vos devia dizr isto. Cuidado com o Vince. Vinde na mesma.

Forte abraço,

Piró

Jazzi disse...

Sem ofensa mas parecem um bando de meninas entediadas. Vão morrer cedo e de ataque cardíaco se continuam a reagir assim. Como aconteceu com Burroughs.

Anónimo disse...

Sahnidrem, Sahnidrem vós sois de facto a referência que resta desta verborreia Bloguista. Precisamos de mais posts, venham eles, venham eles, ou será que estais preparando algo sobre a figura insigne de MITSUIRATO!

Obrigado por existires,

Piró Caminha

freemind disse...

que descambar de conversa aqui vai...
Anda alguém azedo com a vida a aproveitar os blogs dos outros para aliviar, não?
E lá se começa a ir a qualidade...

BlogProwler disse...

Caro/a/s Zé Nabo (que isto atrás dos ciber-nabos esconde-se muita nabiça, nunca se sabe),

Foi, sem dúvida, só por distracção que grafou "nabeis", quando toda a gente sabe que a segunda pessoa do plural do verbo nabar é "nabais".

Proletários do mundo, nabai!

P.S.
Parabéns por não deixar de assinar, que já começava a haver bloggers preocupados com o vazio intelectual deixado pelo anonimato.

Anónimo disse...

O nosso novo conviva, Zé Nabo, também tem um blog: http://asgajasqueremenabo.blogspot.com/
Fica a informação. Anónima.

Anónimo disse...

Pois eu acho que o Nabo... experimentem os links deste blog que não vão precisar de ver todos para o descobrirem... depois ignorem-no que é o único remédio eficaz.

Para ele uma pequena citação de Alexandre O'Neill :

˜Há idiotas que se consideram inteligentíssimos, o que é uma forma muito comum de idiotia, e extraem dessa certeza alguma felicidade, aquela maneira de felicidade que consiste em uma pessoa se julgar muito superior ás que a rodeiam.˜

Anónimo disse...

Zé Nabo e/ou Piró:
Estou com os outros anónimos decentes deste blog. Vocês querem é atenção. E vêm para aqui descarregar as vossas frustrações. Pobres de alma e de cultura. Enfim, Alexandre O'neill disse tudo, no excerto aqui apresentado. O blog do Zé Nabo é uma vergonha.

Anónimo disse...

Vocês não surpreendem, pela simples razão que a vossa mediocridade e provincianismo é por demais previsivel...são daquele tipo do bom aluno que responde sempre bem mas ninguém tem pachorra de aturar nos intervalos, lembram-se? Sectários de Merda que tudo que foge á "moda"(entenda-se aqui como conceipto estatístico e não Versacico)faz-vos comichão nas gónadas. Pseudo-intelectuais vérmicos, vão descarregar as vossas (agora sim!) frustrações para o punhetódromo e deixem fluir o resto pois na vida encontra-se de tudo pela frente...a velha barba, com camisa indiana, calças a cheirar a cebo, óculos com as lentes cagadas e cabelo que não é visitado pelo detergente, já não convence ninguém foda-se!!! nem no bar hippie mais ranhoso de leninegrado. Vão-se foder. Leiam Mário Henrique Leiria nos seus contos de gin tonic e deixem-se de selectividades ridiculas e pastosas.

Vinde a nós sempre que desejardes.

Piró

Anónimo disse...

2 pontos e um travessão!

Não me apredrejai tanto o nabo:

Primeiro ponto:
eu posso ser um sósia do outro senhor que assina o outro blog, mas asseguro-vos que eu e ele temos nabos diferentes. Embora o possa ter plagiado, de tão culto que o acho - mea culpa. A pedir desculpas e a vergar o nabo, falo-ei só a ele.

Segundo ponto:
Para o Blogpwowler -"Vós nabeis" não é de facto a forma correcta de tratar do nabo no Presente do Indicativo - mea segunda culpa. Obrigado pelo reparo. Um nabo que se preza gosta sempre que lhe indiquem o bom caminho.

O travessão:
O travessão é para o/a idiota que apelou a todos que me ignorem, enfiar no cú (o/a que cita o Alexandre O'neill, que de nabo tinha muito pouco).

Decerto que hoje divirti muito mais com o meu nabo esta gente que aqui vem, do que aquele(a) com uma intervenção desidratada e triste própria de um nabo mal formado.

Para quem quiser investigar mais sobre fenómenos de cultura do nabo, seguir + homónimos meus até à exaustão, eis aqui mais links.

http://www.geocities.com/vilardemouros1971/bandadocasaco.htm

http://www.gailivro.pt/index.php?go=detalhe&id=368

http://www.basqueclubs.com/Pages/nabo.htm

http://nabo.r00t.ws/wordpress/

Zé Nabo (sempre de pé)

Anónimo disse...

Piró Caminha, fazes-me lembrar um tio avô bem disposto e folgazão, que dava pelo nome de TÓ CANELAS. Não era tipo para dizer que fazia e acontecia: fazia-as à séria e tratava os bois pelos nomes.

Obrigado pelo teu suporte.

Agradeço também ao Merdinhas a temática diversificada que aqui aborda no seu blog, que nos põe o nabo bem disposto e com vontade de continuar e de cá voltar

Bem "ageis"
Zá Nabo

Anónimo disse...

De facto não há rio cristalino que não fique poluido, mais tarde ou mais cedo...não há gesto que se torna calculista , mais tarde ou mais cedo, não há restaurante que não se torne em cantina, mais tarde ou mais cedo...enfim...Merdinhas esta contaminação é tão perigosa quanto a forma fugaz com que surgiu...não ligues mesmo!!! deixa estas bestas falar!!! que a ETAR trata deles.

Anónimo disse...

Deves ETAR com o teu nabo entalado nos gonzos da porta da Biblioteca Municipal do teu bairro.

Ou então és funcionário púbico.

Trata mas é bem do teu nabo, que ele cuidará de ti.

No hard(on) feelings!

Zé Nabo

Anónimo disse...

merdinhas

outro post por favor, para acabar com esta tristeza.

E obrigado pelas obras do Burroughs, que afinal são o assunto deste post


Batata

Anónimo disse...

Quero esclarecer que a indicação do endereço electrónico de Zé Nabo não se tratou de uma manobra de denúncia e perseguição, mas, apenas, de uma constatação. Não me confundam. Há anónimos e anónimos...
(Que um anónimo também tem a sua honra).

Anónimo disse...

Meu caro Zé Nabo, podes sempre contar com a minha ausência sempre que precisares do meu apoio!! E não te esqueças de uma coisa!! Uma nêspera que fica deitada numa cama á espera de ver o que acontece é sempre comida pela velha que nessa cama se deita! Pensa nisso!

vinde até aqui sempre que isso for a tua singela vontade caro apresto.

Piró Caminha

Anónimo disse...

Batata, um tubérculo nunca acha outro tubérculo triste.

Deves ser uma batata deprimida de pacote, do tipo puxa-saco.

Mas fizeste bem em pedir ao Merdinhas outro tema.

Um abraço que te devolva à horta.

Zé Nabo