29 março 2006

Livro à Quarta: Iluminações, Uma Cerveja no Inferno



DEMOCRACIA

A bandeira reflecte a paisagem imunda e a nossa gíria abafa
o som do tambor.
Nos centros alimentamos a mais cínica prostituição. Massacraremos
as revoltas lógicas.
Às terras aromáticas e dóceis! - ao serviço das mais monstruosas
explorações industriais ou militares.
Até mais ver!, não importa onde. Recrutas do próprio querer,
teremos a filosofia feroz; inaptos para a ciência, esgotados para o confôrto; e que os outros rebentem, Este é o caminho. Em frente, marcha!


Jean-Arthur Rimbaud, tradução de Mário Cesariny

Je ne puis vous donner un adresse(...) car j'ignore personnellement où je me serait trouvé entraîné prochainement, et par quelles routes, et pour quoi, et comment! A suivre...

19 comentários:

sofia3r disse...

Aqui assumo envergonhadamente a minha ignorância.

Naked Lunch disse...

magnífico... cortaria o marcha final. os poetas ébrios. precisamos de um líder português do movimento underground.

podíamos fazer uma plataforma de blogs, uma merda qq para lançar a coisa.

Jazz Manel disse...

Revolution now!...

BlogProwler disse...

Aceito. Estava, precisamente, inscrito no desemprego à espera de um lugar de líder. Que seja underground: faz curriculum. O pior é se o Luís Pacheco se candidata ao lugar...

M.M. disse...

Não conhecia.
Gostei desse excerto.

holeart disse...

grande sugestão…

dois gajos que eu gosto muito

já te falei do meu preiro encontro com o cesariny?

Qual a primeira conversa que tivemos?

uma loucura para 2 loucos.

E pascoais… para quando?

Coolme disse...

Um apelo à revolução.
Em frente, anda!
Lider é o Rimbaud caro Prowler, que a alguns mortos reza a história.

Handprint disse...

Boa!! O título é aliciante!!! Vou ver se leio!

corpo visível disse...

.
ui! um regresso ao passado!
.
no meu primeiro ano da faculdade andava sempre com este livro atrás.
.
.
"acabo por achar sagrada a desordem do meu espírito"
.
.
.
holeart, gostava de ouvir falar do teu encontro com o cesariny.
.
agrada-me "uma loucura para dois loucos"
.

by the way... disse...

numa esquina do porto demos umas lambidelas um no outro (entenderás como quiseres) e ele pergunta-me sabes onde se compra agua das pedras e cigarros. eu respondi que sabia. de seguida... "tu tens um jazigo de familia?" tenho mas está cheio - respondi eu. e...
é uma historia comprida. mete muitos fatasmas voadores.

achoque vou motrar umas tretas dele em by the way... é possivel.

Maria Pedro disse...

Baudelaire, Verlaine e Rimbaud. Os três poetas malditos! Li tanto, tão cedo e tão intensamente que não voltei a ler. Serão referências eternas, porém.
Tens bom gosto! ...despite your nick name ;)

Maria Pedro disse...

Cesariny... li "O prestidigitador" (pode ser?)

matarbustos disse...

tenho que ler isto, pá...

Piluskita disse...

Não conhecia, mas gostei do que li aqui.

Vera disse...

"Afinal o que importa não é a literatura
nem a crítica de arte nem a câmara escura

Afinal o que importa não é bem o negócio
nem o ter dinheiro ao lado de ter horas de ócio

Afinal o que importa não é ser novo e galante
- ele há tanta maneira de compor uma estante!

Afinal o que importa é não ter medo: fechar os olhos frente ao precipício
e cair verticalmente no vício



Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!

Que afinal o que importa é pôr ao alto a gola do peludo
à saída da pastelaria, e lá fora - ah, lá fora! - rir de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra"

(decididamente dito pelo próprio Cesariny, em "Entre nós e as palavras")

(esse livro, após algumas investidas e desencontros, está na minha lista de livros a seduzir)

Anónimo disse...

Rimbaud e o seu barco bebedo...as suas iluminações, a sua cerveja no Inferno...

Z.C

Mendes Ferreira disse...

ah.....estou em casa!!!! que bom:





beijo!

KIM PRISU disse...

Gostei de passar aqui virtualmente.
Invade barcarola na melancolia do génio
Demasiadamente o conquistador de esquinitas, arranca pinheiros
O estremecer do rolhamento intersectivo sinta-se desvelado.
Circunstância do concerto perante… Bom dia em Inteiro com sol interior.

jose disse...

tanta gente que não conhecia rimbaud. devia ser proibido não conhecer rimbaud. todos deviam andar com este livro atrás. eu andei, muitas e muitas vezes.