30 março 2006

Ernest Pignon Ernest


I work on cities, on what they hide, their past, the souvenirs haunting them.





"Rimbaud voyageur" Serigrafia do pintor Ernest Pignon Ernest

"Esta imagem do poeta que eu colei sobre os muros de paris tem uma longa história..."





Sensation

On the blue summer evenings, I shall go down the paths,
Getting pricked by the corn, crushing the short grass :
In a dream I shall feel its coolness on my feet.
I shall let the wind bathe my bare head.

I shall not speak, I shall think about nothing :
But endless love will mount in my soul ;
And I shall travel far, very far, like a gipsy,
Through the countryside - as happy as if I were with a woman.

Março, 1870
Traduzido por Oliver Bernard : Arthur Rimbaud, Collected Poems (1962)

13 comentários:

Coolme disse...

Ah pois é ...o filme já mostrraste com a música.
E Rimbaud. Gostei do link, e dele nas paredes.

Naked Lunch disse...

ontem tirei umas muito parecidas, no bairro (um dia destes lá aparecerão no festim, à mercê de uma ideia qq). não sei as ruas... pormenores... pois...

fantástico o post

holeart disse...

gosto muito deste tipo de provocaçao publica. com a devida distancia ... nos anos 80 nós encontramos em cada esquina uma imagenzinha do pessoa a andar que foi pulvilhada pela cidade por um gajo chamado miguel yeco (penso que é assim que se escreve). muito interessante. muito mesmo.

Jazzie disse...

A importância de se chamar duas vezes Ernesto
e andar a espalhar Rimbaud pela cidade...

Sombra disse...

Agradeço a visita!

Anónimo disse...

http://www.humanite.fr/journal/2004-10-11/2004-10-11-402073

This is James ...hope you find something interesting.

Mendes Ferreira disse...

pois é....vou-me embora...começo a ficar "pequena" de tanto me roer de inveja...que raiva...eu que até vivi uns tempos nas margems do sena a fingir que estudava e a devorar as "mesas de livros à beiro do rio" não trouxe nada disto....e não venho mais aqui. não estou pra isto....


mas é claro que como sou masoquista, tudo o que disse atrás é mentira...volto. sempre.

bjo.

Maria Pedro disse...

Grande ideia! Em vez de políticos, colar poetas nas ruas, nas paredes e cabines. Os políticos podiam ficar nas estradas e no chão, tipo sinais de trânsito a indicar direcções).

Arrebenta disse...

"Ó mundo! E o canto claro dos novos desastres"

Rimbaud

Sombra disse...

Um óptimo fim-de-semana meu caro!

Naked Lunch disse...

estou :D

jose disse...

deviam haver rimbauds em todas as ruas do mundo.

Taciana Oliveira disse...

"Devorei" o blog. Rimbaud, Tim Burton,Antonioni... Tudo é poesia, tudo é encantamento...