17 março 2006

Parabéns Camilo





Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco, escritor e romancista do Romantismo português.



Nasceu em Lisboa a 16 de Março de 1825, na freguesia dos Mártires, num prédio da Rua da Rosa, actualmente com os nºos 5 a 13 e suicidou-se a 1 de Junho de 1890, na freguesia de Ceide, Vila Nova de Famalicão.

“Dizia um filósofo humanitário a certo povo infeliz: ‘Sede melhores, e vós sereis mais felizes’. E o povo respondeu ao filósofo humanitário: ‘Fazei-nos mais felizes, e nós seremos melhores” [C.C.B., in A Verdade, 1856]

“Que me importa a mim o futuro? Caído por este desfiladeiro da vida , com os olhos fitos lá em baixo na terá negra do túmulo, - que tenho eu contigo, futuro? (…)

Eu sou do passado: ficou-me lá o espírito; amo o tempo que foi: vivi então mil séculos num instante – amarguei-os, mas que importa?” [C.C.B., in O Nacional, 1948]

“É inegável que somos europeus, e até podemos avançar que se fala de nós lá fora como um povo civilizado (…) Caminhamos airosamente na via láctea do progresso, porque as estradas cá em baixo o mais que podem é pôr-nos em contacto com o progresso dos antípodas por meio dos abismos insondáveis que o macadame aperfeiçoou (…)

Temos tudo quanto podem ambicionar os netos daqueles que civilizaram mundos novos. Só nos falta – diga-se a verdade sem presunção – falta-nos uma pequena coisa, que faça os homens bons: falta-nos a virtude e a moral; falta-nos o respeito à lei, e a lei que deva respeitar-se; falta-nos esse quasi nada que faz dum povo de traficantes e de corruptos uma sociedade de irmãos e amigos “ [C.C.B., in O Portuense, 1853]
Excertos camilianos tirados daqui.

8 comentários:

ART&TAL disse...

camiluuuuuuuuuuuuu
como é que pegas neste gajo...
eu adoro-o
tirei uma foto que te vou enviar. a casa da rua do almada onde ele se encontrava com a granda'na.


ps:esta semana art&tal dedicou a v. exª a casa de banho

Anónimo disse...

Parabéns sim Um post camiliano é bom.

Z.C

Mendes Ferreira disse...

enormérrimo!


e tão deixado ao esquecimento!

beijo. e obrigado.

Coolme disse...

Quando, à meia-noite, o Alma negra entrava em casa pela porta do quintal, encontrou a mulher ainda de joelhos diante da estampa do Bom Jesus do Monte. Ao lado dela estavam duas filhas a rezar também, a tiritar, embrulhadas numa manta esburacada, aquecendo as mãos com o bafo.

O Melro mandou deitar as filhas, e foi à loja contar à mulher, lívida e trémula, como o Zeferino morreu sem ele pôr para isso prego nem estopa. Ela pôs as mãos com transporte e disse que fora milagre do Bom Jesus; que estivera três horas de joelhos diante da sua divina imagem. O marido objectava contra o milagre - que o compadre não lhe dava a casa, visto que não fora ele quem vindimara o Zeferino; e a mulher - que levasse o demo a casa; que eles tinham vivido até então na choupana alugada e que o Bom Jesus os havia de ajudar.

Ao outro dia, o Joaquim Melro convenceu-se do milagre, quando o compadre, depois de lhe ouvir contar a morte do pedreiro, lhe disse:

- Enfim, você ganha a casa, compadre, porque mátava Zéférino, se os outros não matam ele, hem?

A Brasileira de Prazins (excerto)

Anónimo disse...

Li-o muito pouco...um livro apenas...aquelas obrigações de liceu que nos afastam em vez de nos cativarem... Shame on me...

Inês

by the way... disse...

merdinhas disse...
Mais uma caixa aberta e "mostrada"...
E como é que se vê mais?

5:03 AM


merdinhas.... este é um assunto que está em parte já nas tuas mãos.

bom,

quem quiser ver qualquer coisas das worm prods. está formalmente convidado a vir ver com direito a jantar e baile.
quem tiver muito dinheiro pode comprar.
quem nao tiver dinheiro pode fazer uma interessante proposta de troca.
mais do que isto...

M.M. disse...

Sim, parabéns.
Já tens novidades quanto ao site de que te falei? E espreitaste o outro? O que achaste?

Vanda Baltazar disse...

Que bom ter estado aqui com o Camilo e contigo!


Van