22 março 2006

Livro à Quarta: Três contos




Gustave Flaubert (1821-1880)

Os Três contos são "Um coração simples", "A lenda de São Julião Hospitaleiro" e "Herodíade" .
Nesta edição da Teorema há um quarto conto, "A Lenda de S. Julião Hospitaleiro" de Marcel Schwob (1867-1905).

Durante quase meio século, os burgueses de Pont-l’Evêque invejaram a Mme Aubin a sua criada Félicité...

Como as outras, teve a sua história de amor. O pai, pedreiro, matou-se ao cair de um andaime. Depois, morreu a mãe, as irmãs dispersaram-se, um lavrador recebeu-a e empregou-a, de pequena, a guardar as vacas no campo. Tiritava, esfarrapada, bebia de borco a água dos charcos, batiam-lhe por tudo e por nada e acabou por ser corrida, pelo roubo de trinta soldos que não tinha tirado. Foi para outra quinta, tomar conta das capoeiras e, como agradasse aos patrões, as companheiras tinham-lhe inveja.
Por uma noite de Agosto (tinha ela dezoito anos), levaram-na à festa a Colleville...


Chamava-se Loulou. O corpo era verde, as pontas das asas cor-de-rosa, a cabeça azul e o pescoço dourado.
Mas tinha a fatigante mania de morder o poleiro, arrancava penas, espalhava o esterco e chapinhava a água de se banhar; Mme Aubin, a quem ele incomodava, deu-o definitivamente à criada...
(Uns anos antes, Flaubert tinha trava do cnhecimento com um papagaio verdadeiro....consultou livros de história natural e conseguiu que o museu da especialidade de Rouen lhe emprestasse uma dessas aves embalsamada, mencionada por diversas vezes na sua correspondência...)

Extractos de "Um Coração Simples"

15 comentários:

Naked Lunch disse...

boa, boa e boa

holeart disse...

é claro que sim... o que é preciso é mostrar.
o resto... fica para depois.

Coolme disse...

"Let us ask of life only an armchair and not a throne..." G.F

M.M. disse...

Nada como a liberdade literária. Sinto-me livre, livre!!!

Jazzie disse...

“O único meio de suportar a existência é despojar-se na literatura como numa orgia perpétua”.

Disse-o, se não me engano, Mario Vargas Llhosa na “Orgia perpétua – Falubert e Mme Bovary”....

macaso disse...

Não me canso de vir até cá...mesmo quando não comento.

As Musas disse...

huummmm interessante...

corpo visível disse...

.
do flaubert só li a madame bovary.
.
um dia destes...
.

Maria Pedro disse...

Realismo, né?
Engraçado! Adoro Guy de Maupassant, mas Flaubert (acho que) nunca li.

Anotado!

Luísa disse...

Não conhecia este livro de contos... dele só tinha lido "Madame Bovary"

Maria Antunes disse...

Não conhecia. É bom termos umas dicas de livros. ;-)

Mendes Ferreira disse...

é o que acontece quan do se sabe ler....assim.


sabe bem vir aqui...ponto de encontro.

beijo.

Vanda Baltazar disse...

Nunca li, vai para a minha lista, aguçaste-me o interesse...

out :)

Algodão disse...

só li a Mme bovary,mas este parece ser bem giro,obrigado pela sugestão
:)

matarbustos disse...

não li ainda flaubert mas fiquei curioso, obrigado pela dica